Tudo é utopia até que nós decidamos o contrário.
04
Out 07
A culpa é do/a Pinto, às 15:31link do post | Protesta

"Prefiro morrer de pé a viver sempre ajoelhado." By Ernesto "Che" Guevara

Ernesto Guevara de la Serna nasceu a 14 de junho de 1928 em Rosário, importante cidade industrial Argentina ao norte de Buenos Aires.

Ernesto tinha dois anos quando sofreu o primeiro ataque de asma. Ainda que os Guevara não fossem pessoas para dispensar aos filhos excessivos mimos (Ernesto, que era o primogénito, teve mais quatro irmãos: Célia, Roberto, Ana Maria e Juan Martín), o certo é que, os primeiros ataques de asma sofridos por Ernesto foram muito violentos. Este primeiro ataque deu-se quando estavam os Guevara em Buenos Aires. E em vista de o menino não melhorar, os médicos aconselharam uma mudança de ares.

Foi assim que, em 1932, contava Ernesto quatro anos, a família mudou-se para a região de Córdoba, no centro da Argentina, que na altura não era ainda a zona industrial que hoje é. Radicaram-se em Altagracía, uma pequena estância de veraneio, não muito longe da cidade de Córdoba. Viviam numa casa de estilo inglês, uma cottage chamada Villa Nidia.

A sua educação primaria, devido à asma foi-lhe dada pela mãe. Em 1941, contava Ernesto doze anos, a família mudou-se para a cidade de Córdoba. Foi titular do primeiro time de rugby do Clube Atalaya e os amigos lembram-se de Ernesto exausto, deitado na linha lateral, aspirando do vaporizador anti-asmático que trazia sempre consigo, a procurar recuperar para regressar ao jogo.

Por volta dos 12 ou 13 anos lia freqüentemente. A família possuía uma vasta biblioteca, cerca de três mil volumes. Sabe-se que leu Júlio Verne, Alexandre Dumas, Baudelaire, Neruda e Freud aos 15 anos.

Em 1944, os negócios - que até aí tinham proporcionado aos Guevara uma existência relativamente próspera - começaram a acorrer-lhes mal. Em conseqüência, Ernesto empregou-se (sem deixar por isso de estudar) como funcionário da Câmara de uma vilasita nos arredores de Córdoba. Pagos os transportes, restava-lhe o dinheiro para os seus gastos pessoais, e assim aliviava a família.

Em 1946 terminou o liceu. Os Guevara mudaram-se para Buenos Aires e Ernesto ingressou na universidade. continuando a situação económica a deteriorar-se, foram obrigados a vender com prejuízo a plantação de Missiones. Na capital, Ernesto empregou-se outra vez como funcionário municipal e mais tarde numa tipografia, continuando não obstante o curso de medicina. Houve um período durante o qual trabalhou ainda graciosamente, num instituto de pesquisas alérgicas. Nesse ano de 1946 foi chamado ao serviço militar. Ironia: recusaram-no por inaptidão física.

Depois da Segunda Guerra Mundial, com a vitória das democracias, a oposição a Juan Domingo Perón ganhou novo ânimo. Os estudantes constituiram a sua camada mais aguerrida. Guevara participou nessas lutas.

Com os anos, a vocação viageira de Ernesto não deixou de crescer. Fez uma viagem, começada de bicicleta e terminada a pé, pelas províncias argentinas de Tucumán, Mendoza, Salta, Jujuy e La Rioja, na qual percorreu as fraldas Andinas.

E em 1951, ainda não tinha terminado a formatura em medicina, iniciou, com Alberto Granado, uma grande viagem pelo continente na velha moto do companheiro conhecida pelo nome de "La Poderosa". Nessa viagem, Guevara começa a ver a América Latina como uma única entidade econômica e cultural. Visita minas de cobre, povoações indígenas e leprosários, interagindo com a população, especialmente os mais humildes. De volta à Argentina em 1953 acaba os estudos de Medicina e passa a se dedicar à política.

Guevara atuou como repórter fotográfico em uma carreira de êxito. Cobriu o Pan-Americano de 1953 por uma agência de notícias argentina no México. Em julho de 1953, inicia sua segunda viagem pela América Latina. Nessa oportunidade visita Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Panamá, Costa Rica, El Salvador e Guatemala.

Foi por causa da visão de tanta miséria e impotência e das lutas e sofrimentos que presenciou em suas viagens que o jovem médico Ernesto Guevara concluiu que a única maneira de acabar com todas as desigualdades sociais era promovendo mudanças drásticas.

No final desta viagem, Ernesto voltou à Argentina com o objectivo de terminar o curso de medicina.

Che Gevara teve vários apelidos. Enquanto jogador de Rugby, era conhecido como Fuser, uma contração de "El Furibundo" e seu sobrenome materno "Serna" - por seu estilo agressivo de jogo. Para os companheiros de guerrilha, era apenas "el chancho", o porco, porque não gostava de banho.

Em sua passagem pela Guatemala, aonde chegou em Dezembro de 1953, Che presencia a luta do recém eleito presidente Jacob Arbenz Guzmán, liderando um governo de cunho popular, na tentativa de realizar reformas de base, eliminar o latifúndio e diminuir as desigualdades sociais.

O governo americano se opunha a Arbenz e, através da CIA, coordenou várias ações, incluindo o apoio a grupos paramilitares, contra o governo eleito da Guatemala, por não se alinhar a suas políticas para a América Latina.

As experiências na Guatemala são importantes na construção de sua consciência política, lá Che Guevara se auto define um Revolucionário e se posiciona contra o imperialismo americano.

Nesse meio tempo, Che conhece Hilda Gadea, com quem se casa e de cuja união nasce sua primeira filha, Hildita.


Os "Manda-Bocas"
Os Mais Debatidos
47 Reclamações
29 Reclamações
27 Reclamações
27 Reclamações
24 Reclamações
19 Reclamações
13 Reclamações